quinta-feira, 24 de setembro de 2009

SANTANA DO DESERTO 2

IMAGEM DE SANTANA
Na Sagrada Escritura conta-se que a mãe de Samuel, Ana, na aflição da esterelidade que lhe tirava o privilégio da maternidade, dirigiu-se com fervorosa oração ao Senhor e fez promessa de consagrar ao serviço de Deus o futuro filho. Obtida a graça, após ter dado à luz o pequeno Samuel, levou-o a Silo, onde estava guardada a arca da aliança e o confiou ao sacerdote Eli, após tê-lo oferecido ao Senhor. Tomando isso como ponto de partida o Proto-evangelho de Tiago, apócrifo do século segundo, traça a história de Joaquim e Ana, pais da Bem-aventurada Virgem Maria. A piedosa esposa de Joaquim, após longa esterelidade obteve do Senhor o nascimento de Maria, que aos três anos levou ao Templo, deixando-a ao serviço divino, cumprindo o voto feito.
O fundamento histórico provável, embora na discordante literatura apócrifa, é de algum modo revestido de elementos secundários, copiados da história da mãe de Samuel. Faltando no Evangelho qualquer menção dos pais de Nossa Senhora, não há outra fonte senão os apócrifos, nos quais não é impossivel encontrar, entre os predominantes elementos fantásticos, alguma informação autêntica, recolhida por antigas tradições orais. O culto para com os santos pais da Bem-aventurada Virgem é muito antigo, sobre os gregos sobretudo. No Oriente venerava-se santa Ana no século VI, e tal devoção estendeu-se lentamente por todo o Ocidente a partir do século X até atingir o seu máximo desenvolvimento no século XV. Em 1584 foi instituida a festividade de santa Ana, enquanto são Joaquim era deixado discretamente de lado, talvez pela própria discordância sobre o seu nome que se revela em outros escritos apócrifos, posteriores ao Proto-evangelho de Tiago.
Além do nome de Joaquim, ao pai da Virgem Santíssima é dado o nome de Cléofas, de Sadoc e de Eli. Os dois santos eram comemorados separadamente: santa Ana a 25 de Julho pelos gregos e no dia seguinte pelos latinos. Em 1584 também são Joaquim achou espaço no calendário litúrgico, primeiro a 20 de março, para passar ao domingo da oitava Assunção em 1738, em seguida a 16 de agosto em 1913 e depois reunir-se com a santa esposa no novo calendário litúrgico, no dia 26 de julho. “Pelos frutos conhecereis a árvore,” disse Jesus no Evangelho. Nós conhecemos a flor e o fruto suavíssimo vindo da velha planta: A Virgem Imaculada, isenta do pecado de origem desde o primeiro instante de sua concepção, por um privilégio único, para ser depois o tabernáculo vivo do Deus feito homem. Pela santidade do fruto, Maria, deduzimos a santidade dos pais, Ana e Joaquim.
Sincretismo da Santa Ana: Nãnã
Devoção da Santa Ana: Padroeira dos avós.
Data Comemorativa: 26 de Julho.

Texto tirado daqui:http://minhaprece.com/santa-ana/histria-da-santa-ana/



PORTA LATERAL DA IGREJA


LATERAL DA IGREJA






ALTAR MOR

ALTAR LATERAL

VISÃO GERAL DO ALTAR MOR

História

Santana do Deserto, após ter vivido um período áureo durante o século XIX com a cultura do café, razão das inúmeras e belíssimas sedes de fazendas encontradas no município, atravessou um período de ostracismo econômico. O fim do ciclo do café, em decorrência do desaparecimento da mão de obra escrava e do desgaste do solo, acarretou o abandono das grandes fazendas do Vale do Paraíba. A partir do final da década de 80, com a abertura da rodovia BR-040, e a facilidade de acesso a partir de centros urbanos importantes como o Rio de Janeiro e Juiz de Fora, o município volta a ser centro de interesse para o desenvolvimento do turismo rural, local de veraneio e o desenvolvimento de atividade pecuária de elite, notadamente gado Brahman. Santana do Deserto reúne hoje a maior concentração de criadores de gado Brahman na zona de influência do Estado do Rio de Janeiro. Dentre os principais criadores destaca-se o criatório Brahman Mucugy, além de outros.
Principais Rios

Rio Cagado
Ribeirão Zumbi
.
Bacia

Bacia do Rio Paraíba do Sul
Rodovias
.
Administração

Santana do Deserto - MG - CEP: 36.620-000
E-mail: pmsantanadeserto@uol.com.br
[1]
Poder Executivo (2009 - 2012)

Prefeito: Gilson Geraldo Fraga Granzinoli
Vice-Prefeito: Wilson de Almeida Augusto
.
Prefeitos Anteriores:

Gilson Geraldo Fraga Granzinoli (
2005 - 2008)
Marco Antônio Lins Bastos (
2001 - 2004)
Luiz Carlos Tavares da Silva (
1997 - 2000)
Marco Antônio Lins Bastos (
1993 - 1996)
Luiz Carlos Tavares da Silva (
1989 - 1992)
.
Poder Legislativo (2009 - 2012)
.

Carlos Henrique de Carvalho
Danilo Miguel de Oliveira
Ivanir Barbosa da Silva
Leonardo dos Santos Henrique
Luiz Otavio dos Santos
Rosana Aparecida Lima Bastos
Roselio Soares
Valdevino da Silva Mariano
Wallace Sebastiao Vasconcelos Leite

Estas informações foram tiradas em:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Santana_do_Deserto
.
História da Cidade

A Santana do Deserto foi elevada a distrito de paz, no município de Juiz de Fora em 4 de junho de 1858. Em 13 de agosto de 1889, foi o distrito elevado a paróquia, ainda no município de Juiz de Fora. É mencionado o nome de Nossa Senhora de Santana do Deserto, nome que não mais aparece, em todas as divisões administrativas só se vê Santana do Deserto. Em 24 de abril de 1890, a paróquia foi instituída canonicamente, e teve como primeiro vigário o padre Marcelino José Ferreira.

Em 7 de setembro de 1923, foi criado o município de Matias Barbosa, o distrito de Santana do Deserto passou a integrar esse município, do qual se separou, em 12 de dezembro de 1953, quando teve a autonomia municipal.
Dados encontrados em:

2 comentários:

Chica disse...

Que lindas fotos e história! abração, bom fim de semana,chica

tossan® disse...

José Jaime, um show de edição viu? Além das fotos que eu gosto muito, um belo e rico texto, mas o bico de pena me fascinou. Gosto muito dessa arte e gostaria de ver mais este ótimo trabalho no seu blog. Abraço